Crise Política? O que fazer?

Crise Política? O que fazer?

    13096293_878698098931914_5549734590709989258_n

    Uma crise política tem uma diferença importante em relação às crises econômicas e internacionais. Uma crise política é coisa de todo dia. Sua resolução é relativamente fácil e dá resultados no curto prazo, desde que haja interesses dos poderosos.

    Mas por que uma crise política “precisa” ser resolvida? Porque no modelo institucional brasileiro, o Poder Executivo só pode fazer o que o Legislativo determina. Quando o Executivo não consegue aprovar o que quer, o Legislativo aprova o que o Executivo não quer. Esse é um modelo mais comum no Brasil. O estado fica travado e perde governabilidade.

    Assistimo a isso recentemente e estamos pagando um alto preço. Com a destituição da Presidenta Dilma, o novo Governo deveria surgir com uma força política hegemônica capaz de garantir a harmonia necessária para que uma nova administração se sustentasse. Mas isso não aconteceu.

    A crise política atual teve início há dois anos, e culminou afetando a economia, tendo previsões de queda no PIB, aumento do desemprego, elevação do preço do dólar. Diante desse cenário negativo, o governo busca medidas para amenizar a situação atual, mas a percepção geral é e desconfiança e de enorme insatisfação com o Estado Federal.

    Frequentemente, o noticiário informa que há manisfetações no país, contrárias ao governo. Isso ocorre porque milhões de pessoas têm percebido uma diminuição no seu poder de consumo, desempregro e perda de direitos fundamentais. Além do benefício dado a empresas privadas e estrangeiras, em detrimento a questões sociais.

    Além disso, a descrença no setor público motiva a desconfiança que existente na população. Em razão de tantos crimes de corrupção nas estatais, o cidadões médio passou a perder confiança nas instituições públicas e isso inibe os investimentos. Com o dinheiro de investidores retido, a crise aumenta.

    Como o governo federal é o maior responsável pela crise atual, a população tem que buscar, ao máximo, providências para não ser tão afetada pelos absurdos cometidos pelo Estado. É preciso, em primeiro lugar, que o cidadão busque qualificação profissionais, para aumentar as chances de obter um bom emprego. Em segundo lugar, é essencial que mantenha uma poupança, pois tempos piores podem estar por vir.

    Francivaldo Costa Paiva

    This is a unique website which will require a more modern browser to work! Please upgrade today!